Vinhos

Voltar

Road Show Adega Alentejana | Parte I

em 10.05.16

Semana passada, conforme comentei no Facebook e no Instagram, aconteceu o Road Show da Adega Alentejana, que passou por diversas cidades e finalizou aqui no Recife. No encontro, vários produtores portugueses (e um espanhol) apresentaram seus vinhos. Eu já conhecia a maior parte dos vinhos, mas fiquei feliz da vida em poder provar tudo de novo e, também, conhecer alguns rótulos novos. 
 
Dentre os participantes, estavam: Tiago Cabaço, Tapada do Fidalgo, Roquevale, Paulo Laureano, Mouchão, Monte dos Cabaços, Monte do Pintor, Fundação Eugénio Almeida, Cortes de Cima, Adega de Borba, Quinta da Alorna, Susana Esteban, Quinta de Chocapalha, M.O.B, Wine & Soul, Quinta do Passadouro, Quinta do Noval, Quanta Terra, Adega de Barcelos e Artevino (Espanha). 
 
Foi uma noite repleta de vinhos deliciosos, o que torna muito difícil a tarefa de escolher os meus preferidos. Mas vou tentar! 
 
Começamos (eu e minhas companheiras de degustação, Fabiana e Angela) pelos vinhos da Tiago Cabaço, o que já foi uma grata surpresa! 
 
Tiago Cabaço Wines (Estremoz, Alentejo)
 
 
Surpreendi-me com os brancos da casa, pois eu não os conhecia. E gostei, especialmente, de dois deles. De forma geral, apreciei todos os vinhos, que são elaborados pela enóloga Susana Estéban. Mas destaquei os mais mais.
 
Tiago Cabaço ‘.Com’ Estremoz Branco 2014 
Elaborado a partir de Viognier, Arinto e Verdelho, em inox. Jovem e fresco, mas ao mesmo com boa estrutura. Traz aromas de frutas brancas e cítricas, com leve floral. Achei um ótimo custo-benefício (R$ 57)
 
Tiago Cabaço ‘Encruzado’ Estremoz Branco 2013
Passa por estágio em barricas de carvalho. E, mesmo já tendo 3 anos de vida, ainda está um tanto neutro do nariz. Notas minerais e cítricas, com muito equilíbrio na boca. Um vinho que vale a pena guardar. (R$ 116)
 
Tiago Cabaço ‘Torre de Estremoz Reserva’ Tinto 2013
Outro ótimo custo benefício! Elaborado com Trincadeira, Alicante Bouschet e Aragonez, com 20% do vinho passando por estágio em carvalho francês por 6 meses. Cor rubi com reflexos violáceos, frutos silvestres e toque vegetal, que remete a chá preto e ervas secas, taninos redondos e uma acidez deliciosa. (R$ 54)
 
Tiago Cabaço ‘Vinhas Velhas’ Tinto 2012
Esse foi, talvez, o meu preferido de todos! Alicante Bouschet, Touriga Nacional e Aragonez das vinhas mais velhas da vinícola, com pisa a pé e estágio em barricas de carvalho francês (50% novas, 50% de segundo uso). Cor rubi intensa, aromas de frutos maduros, com toque tostado e levemente defumado. Muito elegante, com taninos bem presentes, mas macios e acidez intensa, o que lhe proporciona ótima longevidade. (R$ 128)
 
Obs: O Blog Tinto 2011 é um grande vinho! Mas, como ainda está muito jovem, neste momento não entrou para a minha lista de preferidos. é um vinho intenso, com muita estrutura (taninos, álcool, acidez), que precisa de uns bons anos em garrafa para se integrar e ser apreciado como deve. 
 
Monte dos Perdigões/Tapada do Fidalgo (Reguengos de Monsaraz, Alentejo)
 
 
Aqui é outro caso de amor! Gosto muito dos vinhos desta casa, especialmente os tintos. Já falei aqui do Poliphonia Reserva Tinto, que é um dos vinhos que eu mais bebia lá em Portugal, especialmente em restaurantes, pois tinha um custo ótimo (na faixa dos 25-30 euros).
 
Monte dos Perdigões ‘Tapada do Fidalgo’ Tinto Regional Alentejano 2014
Elaborado com Trincadeira, Aragonez e Alicante Bouschet, com parte do vinho sendo vinificado em balseiros de carvalho francês. Cor rubi, aromas de frutas vermelhas maduras, com leve toque de especiarias, taninos macios e acidez equilibrada. Um vinho honesto, ideal para o dia-a-dia. (R$ 53)
 
Monte dos Perdigões ‘Tapada do Fidalgo Reserva’ Tinto Regional Alentejano 2013
Touriga Nacional, Aragonez e Alicante Bouschet proveniente de vinhas mais velhas que o anterior, com 12 meses de estágio em balseiros franceses. Cor rubi intensa, aromas de frutas maduras, especiarias, com leve toque floral e madeira bem integrada. Taninos macios, boa acidez e muito equilibrado. (R$ 95)
 
Monte dos Perdigões ‘Poliphonia Signature’ Tinto Regional Alentejano 2011
Também de vinhas velhas de Syrah, Alicante Bouschet e Petit Verdot, com 18 meses de estágio em barricas francesas e mais 1 ano em garrafa. O resultado é um vinho de aromas intensos de frutas bem maduras, especiarias doces, coco e pimenta preta. Um vinho elegante, com taninos sedosos e acidez correta. (R$ 200)
 
Roquevale (Redondo, Alentejo)
 
 
É a segunda maior empresa privada do Alentejo e produz vinhos muito conhecidos, como Terras de Xisto e Redondo.
 
Roquevale ‘Tinto da Talha Grande Escolha’ Tinto Regional Alentejano 2009
Produzido a partir da Touriga Nacional e Alicante Bouschet, mas não mais são vinificados em talhas. Passam 3 meses em carvalho novo, francês e americano. Um vinho elegante, com aromas de frutas vermelhas, especiarias, baunilha e tons terrosos. Taninos finos, boa frescura e muito equilibrado. (R$ 92)
 
Roquevale Grande Reserva Tinto Regional Alentejano 2009
Touriga Nacional, Aragonez e Syrah, com 12 meses de estágio em barricas francesas. Cor rubi granada, aromas mais envelhecidos de frutas vermelhas, café e couro, com taninos finos e acidez já bem integrada. (R$ 113)
 
Roquevale Grande Reserva Tinto Regional Alentejano 2009
Elaborado com Aragonez, Alicante Bouschet e Tinta Caiada, com 24 meses de barricas francesas de 2º. e 3º. uso. Frutos silvestres, especiarias, chocolate e leve mentolado. Taninos ainda firmes e acidez gastronômica, com muito potencial para ainda vários anos em garrafa. (R$ 180)
 

Paulo Laureano (Vidigueira, Alentejo)

Paulo Laureano Bucelas DOC 2014
Paulo Laureano é da região do Alentejo, mas fez este vinho na região de Lisboa, sub-região: Bucelas, das terras de um amigo, elaborado com Arinto e Cerceal. Um vinho muito fresco, com aromas de tangerina, limão e toques minerais. Na boca, apresenta ótima acidez e final longo. (R$ - )
 
 
Paulo Laureano Reserve Branco Alentejo DOC 2013
100% Antão Vaz, com estágio de 8 meses em barricas. Aromas tropicais, com madeira bem sutil. Na boca, mostra-se untuoso e com boa acidez. (R$ 94)
 
Paulo Laureano Reserve Tinto Altentejo DOC 2013
Aragonês ,Trincadeira e Alicante Bouschet, com estágio de 6 meses em barricas francesas de 1º uso. Cor intensa, aromas de ameixas e amoras, tabaco, leve toque de especiarias, com taninos macios, acidez gastronômica e final longo. (R$ 111)
 
Obs: O Paulo Laureano Vinhas Velhas também é muito interessante, mas por ter um caráter excessivo de cravo, que não agrada ao meu paladar, não entrou na minha lista. Talvez daqui a alguns anos.
 

Mouchão (Portalegre, Alentejo)

Aqui também tem outro clássico, que faz parte da minha lista de favoritos, junto com o Poliphonia, que é o Ponte das Canas, que já apareceu aqui pelo blog. Os vinhos são produzidos pelo enólogo Paulo Laureano.
 
Mouchão Tinto Alentejo DOC 2010
Alicante Bouschet e Trincadeira, vinificadas em lagares com pisa a pé e posterior estágio de 24 meses em tonéis de madeira de 5.000 litros, seguido por mais 24 a 36 meses em garrafa. Muito concentrado, com aromas de frutas vermelhas doces, com leve toque vegetal, chocolate e uma madeira fina bem mesclada. Taninos potentes, mas com boa maciez e acidez fresca. Final longo e elegante. (R$ 190)
 

Monte dos Cabaços (Estremoz, Alentejo)

A responsável por estes vinhos é a mãe de Tiago Cabaço, Dona Margarida, que resolveu começar a produzir vinhos em 2001. A responsável enológica também é Susana Esteban.
 
Monte dos Cabaços Colheita Selecionada Branco 2012
Arinto, Antão Vaz e Roupeiro, sem passagem em madeira, mas com estágio em garrafa por 2 anos. Cítrico e mineral, com ótima frescura na boca e final longo. (R$ 73)
 
Monte dos Cabaços Reserva Tinto 2008
Touriga Nacional, Alicante Bouschet e Aragonez, com 12 meses de estágio em barricas de carvalho francês. Aromas de frutos silvestre maduros, com geléia de amoras, leve especiarias e toque de madeira. Na boca, apresenta taninos sedosos, entrando macio até ser arrebatado pela acidez pungente. (R$ 187)
 
 
Acho que vou precisar dividir este post em várias partes, pois foram muitos vinhos e não quero deixar nenhum de fora! Então, depois eu volto com o restinho do Alentejo, que representa a maior parte do portfólio da Adega Alentejana e mais outros! Aguardem cenas dos próximos capítulos!
 
*Os preços indicados são com base no mercado do Recife e os vinhos podem ser encontrados na RM Express, Ingá Vinhos e Empório 4 Elementos. E, lembrando, que quem esteve presente no evento pode comprar os vinhos na RM EXpress com 10% de desconto

Mais Vistos

Instagram

Novidades

Receba em primeira mão todas as novidades diretamente no seu email:

enoblogs