Vinhos

Voltar

Touriga Nacional - a rainha do Dão

em 08.10.15

Em Portugal, assim como em vários países do Velho Mundo, a maior parte dos vinhos é feito a partir de um corte – termo também conhecido como blend, em inglês, ou assemblage, em francês – de castas. Isso quer dizer que os vinhos são feitos com duas ou mais variedades de uvas. Diferentemente do que acontece no Novo Mundo, onde a maioria dos vinhos é do tipo monocasta, ou varietal, ou seja, produzidos a partir de uma única uva.

Recentemente, estive numa degustação de vinhos tintos do Dão, região que produz tintos e brancos de grande elegância. Assim como as demais regiões portuguesas, a tradição sempre foi fazer vinhos de corte com as variedades locais. No caso dos tintos, mais especificamente com as uvas Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen e Alfrocheiro. Cada uma dessas castas traz um componente diferente ao vinho, conferindo-lhe mais complexidade.

Entretanto, nos últimos 20 anos, a produção de vinhos monocastas tem aumentado em todo o país. Segundo João Paulo Martins, jornalista e crítico de vinhos, quem começou esta onda, no Dão, foi a Quinta dos Carvalhais, na década de 90. E a cada ano, cresce a quantidade de produtores incluindo vinhos feitos exclusivamente* de Touriga Nacional (ou outras variedades) em seus portfólios.

E esta degustação, conduzida pelo próprio João Paulo, numa parceria entre a ViniPortugal e a Rota dos Vinhos do Dão, teve o propósito de apresentar apenas vinhos da casta mais emblemática da região, a Touriga Nacional.

A Touriga Nacional tem origem no Dão e sempre foi muito cultivada. De lá, foi levada para o Douro, fazendo parte do blend do Vinho do Porto, e hoje é uma das mais cultivadas no país, apesar de ter sido considerada uma casta de difícil cultivo, durante um bom tempo (pós-filoxera). É tida por muitos como a mais representativa de Portugal.

Imagem da casta Touriga Nacional (Fonte: ViniPortugal)

É uma uva de casca escura e grossa, o que confere cor intensa e violácea aos vinhos, quando jovens. Apresenta aromas florais que remetem a violeta, além de frutas maduras como ameixa, amora e mirtilos. Na boca, apresenta corpo médio, taninos macios a adistringentes e boa acidez.

Claro que esses são as características primárias da uva. O método de vinificação, o uso de madeira e o blend com outras castas podem alterar esse perfil. Durante a prova, pudemos sentir a tipicidade da casta em questão, juntamente com as particularidades de cada produção.

Foram degustados 11 vinhos:

Fonte de Gonçalvinho Touriga Nacional Dão 2010

100% Touriga Nacional, com estágio de 8 meses em barricas americanas de 2º uso e mais 3 meses em garrafa.

Coloração rubi, com concentração mediana, aromas de frutas vermelhas frescas, levemente floral, com notas de café e toque defumado. Corpo médio, acidez suculenta e taninos leves. Equilibrado e fácil de beber.

Preço Médio: 13,50 €

Casa Albuquerque Touriga Nacional Dão 2010

Coloração rubi, mais floral que o anterior, frutas vermelhas (para mim, realçou os aromas do Jambo do Pará), chá preto. No paladar, apresentou-se mais doce, com notas de geléia de framboesa, com acidez viva, taninos medianos e final de boca relativamente longo.

Preço Médio: 7,50 €

Quinta de Cabriz Touriga Nacional Dão 2010

O vinho passou por um estágio de 6 meses em barricas de carvalho.

Cor rubi escura, mais concentrado que os anteriores, com aromas de fruta vermelhas, cereja preta, notas defumadas e leve toque de cedro. Com bom corpo, acidez viva e taninos marcantes, mas com álcool se destacando um pouco.

Preço Médio: 14,50 € | R$ 150 (está em promoção por R$ 85,90 na www.todovino.com.br)

Julia Kemper Touriga Nacional Dão 2010

100% Touriga Nacional, passou por um envelhecimento de 10 meses em barricas de carvalho francês e mais 4 meses em garrafa.

Também de coloração rubi escura, com aroma pronunciado de violetas, café, cereja preta, amora, baunilha e toques de ervas (remetem ao chá Earl Grey). Na boca, apresenta acidez viva, com taninos bem presentes, muito equilibrado e com ótima persistência gustativa.

Preço Médio: 18 € | R$ 118 (Enoteca SaintVinSaint)

Pedro Cancela Touriga Nacional Dão 2012

100% Touriga Nacional, com estágio de 16 meses em carvalhos francês e americano.

Cor rubi intensa, com aromas de frutos silvestres e café, com notas tostadas e toques de pimenta e especiarias no paladar. Encorpado, com ótima acide e taninos bem presentes. Álcool bem inserido no conjunto.

Preço Médio: 19,90 € | É possível encontrar no Brasil, importado pela Lusovini, mas não encontrei o preço.

Casa da Passarella “Villa Oliveira” Touriga Nacional Dão 2011

100% Touriga Nacional, fermentado com leveduras indígenas em cubas de cimento, sem filtragem. Estágio de 18 meses em barricas de carvalho francês.

Cor rubi, com aromas sedutores e envolventes de violeta, cramberries, ameixa e mocha (café com chocolate). Sedoso no paladar, com corpo cheio, taninos macios, acidez vivaz e álcool integrado. Muito equilibrado.

Preço Médio: 32 € | R$ 462 (www.winebrasil.com.br)

Quinta de Saes “Caniças” Touriga Nacional Dão 2012

100% Touriga Nacional (vinhas velhas). 

Cor rubi de média intensidade, com aromas doces de framboesa (bala de framboesa), toques de rosas, levemente mentolado. Corpo leve, acidez fresca, taninos medianos, puxando para o leve, com um fim de boca suculento.

Preço Médio: 7,65 € | É importado pela Mistral, no Brasil, mas não vendem este rótulo 

Quinta dos Carvalhais Touriga Nacional Dão 2012

100% Touriga Nacional, com estágio de 18 meses em barricas novas e usadas de carvalho francês, de oito tanoarias diferentes.

Cor rubi, média intensidade, frutas vermelhas, violetas, levemente terroso e com toques de eucalipto e madeira muito sutil. Muito macio no paladar, com acidez gastronômica e taninos sedosos, com longo fim de boca.

Preço Médio: 15,70 € | R$ 247 (Zahil)

Quinta do Mondego “MUNDA”  Touriga Nacional Dão 2011

100% Touriga Nacional, com fermentação malolática e envelhecimento em carvalho francês por 18 meses.

Coloração violácea, apresentando aromas mais terrosos no nariz, com notas de cedro e baunilha, com toques tostados. A fruta aparece mais no paladar. Corpo médio, taninos discretos e acidez equilibrada.

Preço Médio: 21,50 € | R$ 315 (Vinci)

Borges Touriga Nacional Dão 2010

Vinhas de Touriga Nacional com menos de 9 anos. Estágio de 12 meses em barricas carvalho francês.

Cor violeta, com aromas sutis de frutos vermelhos, notas tostada e um pouco de baunilha. Estrutura delicada, com corpo leve, com acidez fresca e taninos ligeiros, mas bem equilibrado.

Preço Médio: 9,95 € | Não encontrei no Brasil

Quinta da Falorca Touriga Nacional Dão 2002

Monocasta de Touriga Nacional, com 12 meses de estágio em barricas de carvalhos francês e americano.

Cor rubi acastanhada, com aromas terrosos, de couro, especiarias, além de toques floral e de frutos silvestres. Vinho elegante, com corpo médio, taninos leves e acidez bem integrada.

Preço Médio: 21,50 € | R$ 298 (World Wine)

Todos os vinhos foram servidos à temperatura de 16o C.

* Em Portugal, para ser considerado um vinho varietal (monocasta) é necessário ter, em sua composição, ao menos 85% da uva indicada no rótulo. Esta regra varia de país a país.

Posts Relacionados:

Os vinhos orgânicos de Julia Kemper

Portugal de Norte a Sul

Quinta da Fata: Tradição e amor pelos vinhos

Lançamento da Rota de Vinhos do Dão

Mais Vistos

Instagram

Novidades

Receba em primeira mão todas as novidades diretamente no seu email:

enoblogs